Segunda-feira, 18 de Julho de 2005

- Herois e Traidores




Viriato e a Lusitânia






(Clique na imagem para aumentar)





Algumas das principais campanhas de Viriato, contra os Romanos, na Península
Ibérica. Os Romanos dominavam então a área apresentada a vermelho.




"...Sucedeu o pastor Viriato, natural de Lobriga, hoje a vila de 
Loriga, no
cimo na Serra da Estrela, Bispado de Coimbra; ao qual, tendo quarenta anos de
idade, aclamaram Rei dos Lusitanos e casou em Évora com uma nobre Senhora,
no
ano 147.

Prendeu em batalha, ao Pretor romano Caio Vetílio e lhe degolou 4000
soldados; a Caio Lucitor, daí a uns dias, matou 6000.

Ao capitão Caio Plaucio ,matou Viriato mais de 4000 junto de
Toledo. Reforçou-se o dito capitão, e dando batalha junto de Évora, prendeu
4000 soldados.

No ano 146,o Pretor Cláudio Unimano lhe deu batalha e de todo foi destruído
por Viriato, que repartiu os despojos pelos soldados, pondo nos montes mais
altos da Lusitânia, os estandartes romanos..."

(Página do livro manuscrito História da Lusitânia, do Bispo Mor do
Reino,1580,"traduzida" do português arcaico para o actual)

 








-Algumas citações de alguns dos mais importantes antigos historiadores
romanos:

*** -"Viriato, um lusitano de nascimento, sendo pastor desde criança nas altas
montanhas*,foi para todos os Romanos motivo do maior terror. A princípio
armando emboscadas, depois devastando províncias, por último vencendo, pondo em
fuga, subjugando exércitos de Pretores, e Cônsules romanos."(Orósio(5.4.1)

*** -"Viriato, nascido e criado nas mais altas montanhas* da Lusitânia,
onde
foi pastor desde criança, conseguiu reunir o apoio de todo o seu povo para
sacudir o jugo romano e fundar uma grande nação livre na
Hispânia"(Floro(1.33)

*** -"...Este Viriato era originário dos Lusitanos...Sendo pastor desde
criança, estava habituado a uma vida dura nas altas montanhas*...Famoso entre
as populações, foi por eles escolhido como chefe...(Diodoro
Sículo(33.1.1-4)....

*Hermínius, actual Serra da Estrela

 








-Todos os grandes historiadores, começando pelos romanos antigos, elogiam as
grandes qualidades de Viriato. Nelas se destacam, a inteligência, o
humanismo, a
capacidade de liderança, e a sua grande visão de estratega militar e
político. A este grande homem, que liderou os Lusitanos, antepassados dos
portugueses, os romanos só conseguiram vencer recorrendo à vergonhosa traição
cobarde. Este homem, tal como outros que ficaram na história, tinha origens
humildes, provando-se na época, tal como hoje, que as capacidades individuais
não dependem do estrato social, nem das habilitações académicas.

Viriato, era apenas um pastor, habituado desde criança a percorrer as
montanhas dos Herminius (actual Serra da Estrela),onde nasceu, e que conhecia
como as palmas das suas mãos, inclusive as povoações lusitanas da serra. A
Lobriga, sua terra-natal, um povoado fortificado situado estrategicamente
próximo do ponto mais alto da serra, os romanos puseram o nome de
Lorica (antiga couraça guerreira).

 








- Os Romanos chamaram Lorica, nome de antiga couraça guerreira (LORICA
LUSITANORUM CASTRUM EST),à povoação lusitana, fortificada, de Lobriga, nome de
evidente etimologia céltica. O nome Lorica foi escolhido devido à sua posição
estratégica no coração dos Herminius, e ao papel desempenhado durante a
resistência contra os invasores romanos numa serra que era a maior fortaleza
lusitana. Do latim, Lorica, derivou Loriga,com o mesmo significado, e esta
derivação do nome latino começou a ser usada pelos Visigodos. Um caso raro de
um nome que se mantém praticamente inalterado há dois mil anos, sendo
altamente significativo da história e da antiguidade da povoação (por isso,
a
couraça é a peça central do brasão histórico da vila).

Loriga, existe há mais de vinte e seis séculos, e a povoação foi fundada
estrategicamente e originalmente no alto de uma colina, entre duas ribeiras,
na área onde hoje existe o centro histórico da vila. A rua principal da área
mais antiga do centro histórico da vila tem o nome de Viriato em sua
homenagem. Exactamente na área onde, há mais de dois mil e seiscentos
anos, foram feitas as primeiras habitações pelos antepassados dos loricenses.


Da época pré-romana existe, por exemplo, uma sepultura antropomórfica, num
local onde existiu um antigo santuário.

Existem ainda troços da estrada romana, e uma das duas pontes (sec.I a.C.) com
que os Romanos ligaram Lorica ao restante império. Esta estrada ligava Lorica
a Egitânia (Idanha-a-Velha),Talabara (Alpedrinha),Sellium (Tomar),Scallabis
(Santarém),Olisipo (Lisboa),e
a Longóbriga (Longróiva),Verurium (Viseu),Balatucelum (Bobadela),Conímbriga
(Condeixa-a-Velha)e
Aeminium (Coimbra).



Quando os Romanos chegaram, a povoação estava dividida em dois núcleos. O
maior e principal, situava-se na área onde hoje existem a Igreja Matriz e a
parte superior da Rua de Viriato, e estava protegido por muros e paliçadas.
O
outro núcleo, constituído por poucas habitações, estava localizado junto de um
promontório rochoso onde hoje existe o Bairro de S.Ginês ( S.Gens ).

A vila de Loriga, recebeu forais de João Rhânia (senhorio das Terras de Loriga
no tempo de D.Afonso Henriques),e dos reis D.Afonso III, D.Afonso V, e
D.Manuel I,nos séculos XII,XIII,XV e XVI, respectivamente.

Eclesiaticamente, Loriga pertencia à Vigariaria do Padroado Real, sob a
dependência de Coimbra, e a Igreja Matriz, dedicada a Santa Maria Maior, foi
mandada construir pelo rei D.Sancho II em 1233.Era um templo românico de
três naves e traça exterior semelhante à da Sé Velha de Coimbra. Foi
destruída pelo sismo de 1755.

O concelho de Loriga (actual Região de Loriga)incluíu a área onde hoje
existem as freguesias de Alvoco da Serra, Cabeça, Sazes da
Beira, Teixeira, Valezim, e Vide. Inicialmente, desde o século XII,até ao início
do século XIX,o Município Loricense, e até à inclusão de Valezim,não ia além
da Portela de Loriga.

Alvoco da Serra, que recebera foral no século XVI,foi reintegrado no Concelho
de Loriga no início do século XIX. Vide, que recebera foral no século XVII,foi
reintegrada no Município Loricense na mesma época.

A bela e histórica Loriga é uma vila industrial desde princípios do século
XIX. Chegou a ser uma das localidades mais industrializadas da Beira
Interior, e só foi ultrapassada pela actual sede de concelho em meados do
século XX.O grande dinamismo dos loricenses ultrapassou até os maus
acessos, já que, durante mais de dois mil anos, e até à década de trinta do
século XX,a única estrada existente era a velhinha estrada romana.

Mas,o génio dos loricenses está também patente no que é um dos exlibris de
Loriga: Os socalcos e a sua complexa rede de irrigação que são ainda a marca
inconfundível da paisagem loricense. Ao longo de centenas de anos,os
loricenses construíram aquela obra gigantesca, tranformando um vale belo mas
pedregoso, num vale fértil.

Loriga,tem enormes potencialidades turísticas, e as únicas pistas e estância
de esqui existentes em Portugal, estão localizadas em Loriga. Loriga, é a
capital da neve em Portugal.

As actuais sete freguesias do antigo Concelho de Loriga( incluindo a vila
),e as suas mais de trinta localidades anexas, constituem a Região de Loriga.


 






( Feita na vila de Loriga, no dia 08 de Setembro de 2002 )



extraído do site:
Loriga - Terra
de Viriato


 





   
Bandeira dos Lusitanos


 









Quando a península ibérica foi invadida pelos romanos,
os lusitanos da Serra da Estrela se opuseram à dominação. Resistiram
bravamente durante dez anos, liderados por Viriato, até que Roma envia
Cipião, que suborna três embaixadores do chefe luso - Audax, Ditalkon e
Minuros que, em 140 AC, o assassinam enquanto dormia.

 

Assim, décadas depois, em 61 AC, seria necessário o próprio Júlio César para
submeter os povos do noroeste, transformando a região numa província romana,
a Lusitânia.

A bandeira dos lusos, como se vê, é o que há de mais simples: um pano com o
desenho do animal símbolo.

A cor branca deve ter sido escolhida por acaso, sem intenção de querer
expressar algo.

Para os primitivos, as cores não representavam os grupos, ao invés, pelo
emblema - algum instrumento, vegetal, animal ou astro. O branco realçava o
dragão verde.

O dragão dos lusos pode ter esta pauta de ideias: os pés do leão significam
a fortaleza; as asas de águia, a sabedoria, a velocidade; a cauda da
serpente a astúcia, a estratégia, a vigilância.

 

O verde foi inspirado na exuberante natureza da Lusitânia. Cabe ressaltar
que o dragão é o elemento mais rico da simbologia.

 

Na batalha de Aljubarrota, em 14 de Agosto de 1385, D João I, de Portugal,
derrotou decisivamente o Rei de Castela e garantiu a independência de
Portugal. Os cavaleiros da Ala dos Namorados, comandados pelo Condestável
Nuno Álvares Pereira lutavam sob uma bandeira verde como o velho dragão
lusitano.

 

O verde permanece na última bandeira portuguesa e na actual Bandeira do
Brasil.

 

Não há nenhum registro escrito com a forma correcta da Bandeira dos Lusos,
surgindo divergência entre os autores sobre a forma do dragão e seu
posicionamento na bandeira. A versão apresentada é a mais aceita.


 


extraído do site:

Academia militar das agulhas negras




 






Este artigo foge um pouco do nosso tema: Olivença, mas tem como
finalidade mostrar que descendemos de uma raça de heróis onde os
traidores só trouxeram desgraça.







 

Olivença é Portuguesa editou às 23:51

link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De Anónimo a 19 de Julho de 2005 às 16:29
Os Lusitanos resistiram bravamente durante dez anos, aos ataques dos Romanos, liderados por Viriato( afinal temos sangue nas veias), até que Roma envia Cipião, que suborna três embaixadores do chefe luso - Audax, Ditalkon e Minuros (o pior são os traidores entre nós)que, em 140 AC, o assassinam enquanto dormia.
Português
(http://arroba)
(mailto:arroba@sapo.pt)

Comentar post

Defendendo Olivença

Em defesa do português Oliventino

Olivença back to Portugal

pesquisar

 

Grupos por Olivença


Grupo Yahoo Olivença

Grupo Olivença é portuguesa (MSN)

Blogs por Olivença


Jornal de Olivença

Olivença é Portugal

Solidários a Olivença


Sonho Alentejano

EU acredito em Portugal

Viver Livremente

Beja

Um bolíndri na tarrafa

Sites por Olivença


Grupo dos Amigos de Olivença    

Olivença,Olivenza    

Zolmer Xu Homepage    

PORTUGAL LIVRE

Foruns por Olivença


Forum Olivença     

Forum Defesa

Sobre Olivença

Para quando ???

Novo Fórum

Humor, ou algo mais?

TGV, Espanha e Olivença

Além Guadiana cultura por...

XXIV Cimeira Luso-Espanho...

Oliventinos querem estuda...

Uma colónia na Península ...

Verdegaio Brejeiro

Olivença no " The Telegra...

Olivença mensal

Abril 2010

Dezembro 2009

Junho 2009

Maio 2009

Janeiro 2009

Agosto 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Outubro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Dezembro 2006

Outubro 2006

Agosto 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Estou no...








Estou no Blog.com.pt

E você, blogaqui?

:: Portal dos Sites :: Clique Aqui ::
blogs SAPO

subscrever feeds

tags

todas as tags